EO 62 continua em vigor sem TRO do SC, diz OSG

Procurador-Geral Menardo Guevarra – Foto de arquivo/Marianne Bermudez

MANILA, Filipinas – A Suprema Corte ordenou en banc que o presidente Ferdinand Marcos Jr. e três outros funcionários do governo em resposta a uma petição de certiorari apresentada na semana passada por grupos de agricultores que querem impedir a implementação da ordem executiva (EO) para reduzir tarifas. no arroz e outros produtos agrícolas de 35% para 15%.

“O tribunal, sem dar tempo ao pedido e oração de [temporary restraining order, or TRO]exigia que os entrevistados enviassem seus comentários dentro de um período indefinido de 10 dias”, disse a porta-voz da Suprema Corte, Camille Ting, em entrevista coletiva na quarta-feira.

LEIA: Supremo Tribunal Federal pediu cancelamento da tarifa EO 62 sobre produtos agrícolas

Em resposta à decisão do tribunal superior, o procurador-geral Menardo Guevarra disse que não existe TRO, Ordem Executiva No. 62 continuará a ser implementado.

Além do presidente Marcos, os réus no caso são o secretário executivo Lucas Bersamin, o secretário do Conselho Nacional de Economia e Desenvolvimento (Neda), Arsenio Balisacan, e a presidente da Comissão Tributária, Marilou Mendoza.

Preocupações dos candidatos

Marcos emitiu a OE 62 em 20 de Junho para reduzir o imposto sobre o arroz e outros produtos de 35 por cento para 15 por cento – uma medida que levantou preocupações entre os agricultores e grupos trabalhistas de que os consumidores poderiam optar por comprar arroz mais barato de outros países do que de produtos locais.

“A implementação do calendário tarifário geral visa aumentar a oferta, controlar os preços e reduzir a pressão sobre os preços de diversos produtos, em linha com os interesses nacionais das Filipinas e com o objetivo de proteger o poder de compra dos filipinos”, disse o Presidente. disse em sua ordem.

A revisão está em andamento

Segundo Guevarra, o governo recebeu uma cópia da petição apresentada pela Federation of Free Farmers Inc., United Broiler Raisers Association Inc., Sorosoro Ibaba Development Cooperative e pelo advogado Argel Joseph Cabatbat do Magsasaka Partylist em 4 de junho.

No entanto, o seu gabinete ainda não recebeu uma cópia da decisão do Supremo Tribunal que exige que o governo comente a questão.

“Seja lá o que for, eles [Office of the Solicitor General] ele está estudando as questões jurídicas envolvidas”, disse Guevarra aos repórteres em mensagem no Viber.

“Não sabemos se o SC emitirá um TRO ou não nos próximos dias. Acho que os juízes do SC também estão avaliando se alguma medida é necessária. contido”, disse ele.


Não foi possível salvar seu registro. Por favor, tente novamente.


Seu registro foi realizado com sucesso.

No seu apelo de 27 páginas, os grupos pediram ao tribunal superior que declarasse a EO 62 nula, sem efeito e inconstitucional, dizendo que foi “emitida às pressas” e violava a exigência da Lei de Modernização e Tarifas Aduaneiras de realizar pesquisas com o público. preços nesta questão.



Fonte

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here